14.12

Carta ao Papai Noel

Querido Papai Noel,

Fui um bom menino durante esse conturbado ano de 2020.

Trabalhei o período possível em home office. Retornei correndo ao escritório, antes mesmo do fim do lockdown, pois as contas não paravam de chegar.

Enquanto algumas das outras partes indispensáveis à administração da Justiça ainda estavam em suas residências, eu precisei encarar o vírus de frente.

Estive sempre disponível para meus clientes, nos finais de semana e até tarde da noite. Atuei como advogado, psicólogo, conselheiro. Comemorei vitórias e sofri com as derrotas, juntamente com os clientes.

Com isso, venho te pedir alguns presentes neste Natal, meu bom velhinho.

Gostaria que as distribuições dos processos voltassem a ser quase que instantâneas e que não demorassem semanas para serem feitas, como vem ocorrendo;

Gostaria de voltar a ser atendido pelos Magistrados;

Gostaria de conseguir ser atendido por alguém no fóruns e tribunais;

Gostaria que o e-SAJ funcionasse todos os dias;

Gostaria que o MP entendesse que seu papel não é apenas o de acusar, mas também de defender os direitos dos réus, como afirmou recentemente o Ministro Gilmar Mendes, do STF;

Gostaria que nossas Prerrogativas fossem, de fato, respeitadas;

Gostaria que nossa Instituição (OAB) prestigiasse os advogados e não um Ex-juiz famoso por desprestigiar e desrespeitar os advogados;

Gostaria que o mesmo milagre das eleições, que fez o Corona desaparecer por alguns dias, fizesse nossa OAB reaparecer;

Gostaria apenas que a profissão que eu tanto amo, fosse verdadeiramente respeitada.

Adoraria, que em 2021, o artigo 133 da nossa Constituição Federal, que prevê que o advogado é indispensável à administração da justiça, deixasse de ser letra morta e efetivamente fosse cumprido, chamando os advogados, através da OAB, para discutir os rumos do Judiciário em tempos tão diferentes.

Por isso, peço encarecidamente, meu bom velhinho, proteja a advocacia brasileira em 2021!

Do seu bom menino,

Advogado

Texto por: Murilo Marques